Padre Henrique completa 60 anos de sacerdócio e recebe homenagem da Câmara Municipal

Líder religioso foi congratulado pelo vereador Romano Oliveira com a medalha “Chão Nascente do Paranapanema”

Para homenagear um dos mais respeitados líderes religiosos de Capão Bonito, Padre Henrique Helsllot, que completa neste ano 60 anos de sacerdócio, o vereador Romano Oliveira (PDT) apresentou um projeto de decreto legislativo que concede à ele a honraria “Chão Nascente do Paranapanema, criada para prestar homenagem a todos aqueles que possuem um papel de destaque e de relevância no Município.

 Atualmente com 86 anos, o holândes Henrique Helsllot tornou-se padre aos 25 anos. E já naquela ocasião, sonhava com algo além daquela rotina de conduzir as cerimônias católicas. Seu ideal, desde os tempos de seminário, estava voltado às causas sociais. Assumiu as obrigações que a batina exige, porém, acrescentou à sua missão de propagar a fé a luta pelo social.

 Já em suas primeiras atividades paroquiais na Holanda, sensibilizou-se com os problemas que atingiam os fiéis e não jamais mediu esforços para amenizá-los. Apesar das dificuldades que observava, padre Henrique acreditou que poderia contribuir de uma forma mais efetiva em países mais carentes do que a Holanda.

Em 1968, obteve a autorização das autoridades católicas holandesas para uma rápida experiência no Brasil. Padre Henrique desembarcou em solo braisleiro em plena ditadura militar e foi recebido na época então arcebispo de São Paulo Dom Paulo Evaristo Arns. Sua atividade religiosa na capital paulista durou exatos cinco anos, e após o desmembramento das paróquias da região de Itapeva da Diocese de Sorocaba, Padre Henrique foi convidado para comandar comunidades católicas no município de Capão Bonito.

Chegou à cidade em 1973 com objetivo de melhorar e reorganizar as atividades paroquiais e auxiliar o saudoso cônego Pedro José Vieira, que na ocasião acumulava o cargo de prefeito municipal. Disposto a contribuir com o município, viu pela janela de seu quarto uma cidade cercada de mato e com muitos desafios pela frente.

A primeira tarefa social de padre Henrique em Capão Bonito começou na compra de uma área de 77 mil metros quadrados que serviu de embrião para a construção do Centro de Assistência Social de Capão Bonito. “Visitei algumas comunidades e bairros rurais e aquela imagem de crianças desnutridas me incomodou e dessa indignação, nasceu o Centro de Assistência Social”, disse.

Desde que chegou a Capão Bonito, Padre Henrique lutou e brigou para oferecer uma vida mais digna ao povo e principalmente, às crianças. Além dos 60 anos de vida sacerdotal, esse padre holandês mudou o conceito de assistência social em Capão Bonito e continua com a mesma sobriedade de quando pisou neste chão no início da década de 70. Lembra-se de todos os detalhes do início de sua jornada religiosa e social e orgulha-se em dizer: “Aqui construiu minha vida, realizei meu sonho e de muitas crianças. Aqui está a obra, o Centro de Assistência Social”.

Segundo o vereador Romano Oliveira, atualmente, Padre Henrique celebra missa apenas aos sábados na pequena capela construída no Centro Social, denominada Cantinho da Paz, e direcionada às crianças e adolescentes atendidos pela entidade, mas, conduz com o mesmo vigor a administração de uma das entidades mais importantes de Capão Bonito. (AI)