Exposição ‘Combate da Revolução de 32 em Capão Bonito-SP’

 

Origem: Site G1 ITAPETININGA

Segundo historiadores, batalhas foram travadas em Buri e Capão Bonito, SP.

De acordo com o escritor e historiador João Brazilio Ramos Júnor, a revolta dos paulistas estourou depois que Getúlio Vargas, do Rio Grande do Sul, com o apoio dos estados do norte, tomou o poder que deveria ser do itapetiningano Julio Prestes, dois anos antes, eleito em julho de 1930.Os revolucionários queriam a derrubada do governo provisório de Vargas e a criação de uma nova constituição para o Brasil.

Mais de três mil homens morreram durante os confrontos entre as tropas de São Paulo e do Rio Grande do Sul. Em Capão Bonito (SP), ainda são encontradas algumas das trincheiras cavadas pelos revolucionários. O policial militar Wagner de Oliveira é um caçador de relíquias em Capão Bonito. Ele percorre a região para buscas de objetos perdidos em meio a matas. Segundo ele, as principais peças encontradas são munições. ”Depois de uma vasta leitura de livros antigos, de relatos de ex-combatentes, eu volto aos locais aonde aconteceram às batalhas, e aonde foram cavadas as trincheiras, e com a ajuda de um detector de metais procuro material para eternizar a memória desse acontecimento”, diz.

A posição geográfica fez de Itapetininga uma base de apoio do movimento revolucionário. O instituto educacional foi transformado em hospital militar. Os feridos na divisa com o Paraná entram levados para a unidade.

Além de centro de recuperação dos soldados, na escola também ficava o comando da frente sul da revolução e era feita toda a movimentação de tropas.

Exposição no Centro Educacional, Cultural e Esportivo “Paulo Freire”.